MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews The process cannot access the file 'D:\home\site\wwwroot\Visitas2.xml' because it is being used by another process. 2019: 4973610
Pageviews 2018: 4296564
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

O que é e como calcular IOPS (Exchange, SQL, SharePoint, etc)?

Esta pergunta é frequente, principalmente porque como consultor de soluções da Dell que é um fabricante de hardware temos que saber.

O que são IOPS?

É o número de operações por segundo que um disco individual consegue chegar. Por exemplo, um disco SAS de 10K consegue em média 140 IOPS.

Esta velocidade é padrão na industria com variações entre modelos, mas podemos ter uma base do que é aceitável e o fabricante do disco poderá lhe informar este número.

Porem, note que a diferença é muito grande, principalmente levando em conta os novos discos SSD. Por exemplo, o disco X25-E da Intel (Veja o pdf com as caracteristicas em http://download.intel.com/design/flash/nand/extreme/extreme-sata-ssd-datasheet.pdf) chega a números 30 vezes maiores que os discos SAS e SATA.

image

Porque o IOPS é tão importante?

Esta pergunta é óbvia, mas a explicação pode não ser tão simples. Acontece que na maioria dos casos temos a tendencia de minimizar a questão dizendo que é “performance” ou “percepção do usuário” mas na verdade pode impactar diretamente no funcionando de um aplicativo, em alguns casos até inviabilizando.

Por exemplo, um ambiente Exchange 2003 com 2 mil caixas de correio precisa de 1,5 mil IOPS e este número não é fácil de alcançar. O SQL Server para um banco de dados do SharePoint precisa de 5 mil IOPS para funcionar.

Como calcular o IOPS?

Multiplique o total de discos pelo tipo de RAID e conseguirá o seu número. Segue alguns exemplos:

image

O RAID 1, RAID 10 ou RAID 0 irá lhe proporcional o maior numero de IOPS possivel, já o RAID 5 o calculo leva em conta 1 disco a menos e no RAID 50 2 discos a menos para as paridades.

Como conseguir o maior IOPS possivel com maior capacidade?

Temos tres formas de fazer isso:

  1. Utilize discos de alta performance, como os SAS de 15K ou o SSD, porem são caros e no caso do SSD de tamanhos de apenas 32/50/64/100GB
  2. Utilize o tipo de RAID apropriado para a performance e não visando o tamanho desejado como muitos hoje fazem, o que muitas vezes implica em utilizar RAID 10 para ter a performance total ao invés de RAID 50, perderiamos em capacidade mas ganhamos em performance
  3. Compre um storage que trabalha com as LUNs virtuais, ou seja, ele aloca os dados nos discos conforme a necessidade deste dado e não necessita dizer o tipo de RAID

O que são as LUNs virtuais?

Não vamos entrar no ponto técnico já que este é bem mais complexo, porem podemos entender o que é esta nova tecnologia sem nos tornarmos especialistas em storage.

Usando os storages da Dell como exemplo, o MD3200i trabalha com LUNs da forma normal que conhecemos. Você indica que os discos X a Y formam o RAID 0, de Z a W o RAID 5 e assim por diante. Ou seja, mapeamos diretamente os discos e ficamos dependentes da capacidade de IO individual de cada um.

Já na série EqualLogic podemos definir o tamanho da LUN sem indicar os discos e o próprio storage irá alocar automaticamente os dados mais acessados nos discos mais rápidos (!!!!!!!!!!). Você deve estar achando que é brincadeira ou algo do tipo “conceito”, mas não é!!

Os novos storages vendidos pela Dell, EMC, IBM e outros são inteligentes e permitem misturar os discos. Por exemplo, posso colocar discos SSD na gaveta do storage e mais uma gaveta adicional com 24 discos de 15K SAS e não me preocupar se a LUN que criei está nos discos mais performáticos, quem fará este trabalho é o storage.

E, o mais interessante, quando o storage “perceber” que determinado dado (LUN) é mais acessado que outro ele irá realocar para os discos mais rápidos e fazer o shift dos dados sem intervenção e queda de performance, já que trabalha em background e automático !!!!

Referencias interessantes

Como calcular IOPS para Exchange 2003 http://technet.microsoft.com/en-us/library/bb125019(EXCHG.65).aspx

Como calcular IOPS para Exchange 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/ee832791.aspx

Como calcular IOPS para o SQL do SharePoint 2010 http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc298801.aspx

Utilitário para medir IOPS para o SQL Server (SQLIO) http://www.microsoft.com/download/en/details.aspx?displaylang=br&id=20163

Referencia do EqualLogic S6000 http://www.equallogic.com/products/default.aspx?id=9511

Posted: jul 03 2011, 13:53 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Comentários (2) -

Gustavo Santos said:

Muuuuito boa a dica!
Valeu!

# julho 03 2011, 19:54

msincic said:

Obrigado Gustavo, fico feliz em saber!!!

# julho 03 2011, 20:00
Os comentários estão fechados
Login
Marcelo de Moraes Sincic | All posts tagged 'scvmm 2012'
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2019: 4973610
Pageviews 2018: 4296564
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Novos MVA’s Disponíveis: Gerenciamento de Infraestrutura de Updates e Proteção de Dados e Servidores para Nuvem Privada

Os dois MVAs que foram disponibilizados hoje tem por objetivo ajudar no uso da suite System Center em dois pontos bem específicos e que muitos sentem dificuldade em utilizar e entender:

  1. Infraestrutura de Updates – Aborda o uso do SCCM como alternativa mais completa que o WSUS em um ambiente gerenciado e como integrar o WSUS ao VMM para aplicar os updates de forma inteligente e escalonada em farm de servidores Hyper-V
  2. Proteção de Dados – Como o DPM pode ser a solução ideal para proteção de ambientes Microsoft, principalmente voltado a Nuvem Privada e infraestrutura de virtualizazação Microsoft

Clique nos prints abaixo para abrir os cursos diretamente no MVA.

Em fase de produção tenho outros MVA’s:

  • Gerenciamento de Infraestrutura de Rede para Nuvem Privada
  • Automatizando processos em Nuvem Privada
  • Gerenciamento de Infraestrutura de Storage para Nuvem Privada

image

 

image

Posted: dez 03 2013, 23:46 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Conectando os Produtos System Center para Melhor Integração

Muitos que usam os produtos System Center 2012 ainda utilizam as ferramentas como nas versões 2007 e 2008, ou seja, de forma autônoma.

Assim, o Service Manager recebe incidentes manualmente quando algum tipo de alerta é gerado no Operations Manager. Os relatórios e dados de inventário (CI) precisam ser consultados no Configuration Manager.

Utilizando os conectores do Service Manager podemos integrar todos os produtos como mostra o diagrama abaixo:

image

Como pode ser visto no diagrama, é o Service Manager que faz o papel de integrador entre os diferentes produtos System Center. O Orchestrator também atua, porem por meio dos Runbooks que podem interagir com o desenho de atividades, mas já comentei em outro post http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Orchestrator-Integration-Packs-para-System-Center-2012.aspx

Criação de Conectores no Operations Manager

Os conectores precisam ser criados dos dois lados, inicialmente pelo Operations Manager em Administration –> Internal Connectors, como pode ser visto abaixo, onde os diversos conectores já estão criados, sendo que apenas um é criado no assistente e os outros criados automaticamente conforme o número de Management Packs:

08-02-2013 11-37-57

O primeiro passo é definir o nome do conector e quais os grupos de computadores do SCOM serão integrados:

08-02-2013 11-35-45

08-02-2013 11-35-53

No passo seguinte definimos quais são os Management Packs que serão integrados com o Service Manager, sendo que no momento de criação do conector pode-se escolher todos e fazer a manutenção após o conector já criado e testado, como será mostrado no próximo tópico:

08-02-2013 11-36-02

O ultimo passo ao criar o conector é definir critérios de filtro. Este item é mais importante que os dois acima (Computer Groups e Management Packs), pois permite definir de forma granular quais alertas irão gerar os incidentes no Service Manager. Por exemplo, apenas os erros são importantes em incidentes, assim como a prioridade e o estado do alerta no SCOM.

Também é importante notar que os incidentes no Service Manager podem ser abertos pelos estados resultantes dos Healthy Monitors do Operations Manager, o que amplia em muito o número de incidentes que serão gerados:

08-02-2013 11-36-10

Edição do Conector no Service Manager

Criado o conector no console do Operations Manager é possivel ver o mesmo conector replicado no Service Manager em Administration –> Conectors.

Se for necessário alterar como os incidentes são abertos, registrados e auto-atualizados é necessário alterar o conector pelo console do Service Manager, como mostrado na tela abaixo:

08-02-2013 11-36-28

Na tela de configuração do template definimos os critérios dos incidentes que serão sincronizados, lembrando que caso não seja configurado corretamente o conector no Service Manager, ao fechar um incidente este não será encerrado no Operations Manager e vice-versa.

No exemplo abaixo, selecionei todos os computadores pelo grupo, mas poderia ser feito um filtro pelo Management Pack, nivel de severidade, prioridade ou mesmo um campo personalizado:

08-02-2013 11-37-15

Criando Conectores de Itens (CI) no Service Manager

Note que a importação dos Management Packs tem a ver com os itens de configuração e não com os alertas definidos anteriormente.

Neste caso, o que será importado são itens, computadores e dados recolhidos dos agentes pelo Operations Manager, para formar a biblioteca de dados de configuração junto com o próprio System Center Configuration Manager.

Sendo assim, criar o conector de itens de configuração não é tão importante quanto criar o conector para os alertas, principalmente em ambientes onde o System Center Configuration Manager também foi implementado e sincronizado.

De qualquer forma, recomendo que se crie o conector de CI para que máquinas monitoradas pelo Operations Manager e que não contenham agente do Configuration Manager estejam contempladas no banco de dados do Service Manager ao abrir um chamado. Alem disso, o conector permitirá ver aplicações como sites do IIS e outros serviços do Windows pelo Service Manager.

Para criar e administrar este conector, basta definir quais os Management Packs que irão enviar dados e o agendamento para esta tarefa:

08-02-2013 11-38-52

Outros Conectores

Mais detalhes de cada um dos conectores pode ser vista no TechNet em http://technet.microsoft.com/en-us/library/hh524326.aspx

 

 

image

Para mais informações sobre o Windows Server 2012, acesse: http://clk.atdmt.com/MBL/go/425205719/direct/01/

Gravação da Palestra Gerenciando Private Cloud com System Center 2012 no MVP IT ShowCast na PUC

Na palestra de sábado, focamos o System Center de forma diferente. Ao invés de abordar todos os produtos e o cada um deles faz, o foco foi centralizado nas capacidades que são utilizadas em gerenciamento de Private Clouds, por exemplo, no SCCM cobrimos as funcionalidades de DCM e Software Update, já que as outras não são utilizadas em escala significativa para Private Cloud.

 

Private Cloud com System Center 2012 no MVP ITShowCast

Artigos no Wiki MIVP #14, #15 e #16–System Center Virtual Machine Manager 2012, Série Completa

Continuando a parceria com a agência de publicidade para a montagem de 20 artigos referentes a Private Cloud com System Center 2012, esta semana publicamos o artigo no portal MIVP do Wiki, desta vez focados no System Center Virtual Machine Manager 2012:

Em breve os próximos artigos que irão abordar o System Center Service Manager 2012 e Windows 2012:

  • System Center Service Manager 2012 - Instalação e Configuração
  • System Center Service Manager 2012 - Administração e Dia a Dia
  • Windows 2012 - Novidades do Hyper-V
  • Windows 2012 - Novidades do Cluster Service e NIC Team

Series anteriores:

System Center Virtual Machine Manager 2012 no MVA

Hoje foi disponibilizado no Microsoft Virtual Academy o treinamento de introdução ao VMM 2012 que atualmente está em versão RC (Release Candidate).

Tive o prazer de ser convidado a gravar o conteudo que é muito bom pois os ppts são traduzidos a partir dos utilizados em apresentações no TechEd USA de 2011, com toda a parte teórica de nuvem privada e hibrida e os novos recursos integrados do VMM 2012.

A série é formada por 3 videos de 40 minutos, documentação e um exame para auto avaliação.

Segue o link http://www.microsoftvirtualacademy.com/tracks/introdu-o-ao-system-center-virtual-machine-manager-2012

image

Login